A oração de São Francisco possui erros na tradução para o português. Quais?

por | set 28, 2022 | São Francisco de Assis, Stela Vecchi, fundadora do Feng Shui Lógico | 0 Comentários

Conheço e medito a oração mais famosa de São Francisco desde minha juventude. Belíssima, profunda, essa oração penetrou profundamente em minha alma e posso dizer que busquei praticar o melhor que pude seus ensinamentos.

“Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz.

Onde houver ódio, que eu leve o amor.
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Onde houver discórdia, que eu leve a união.
Onde houver dúvidas, que eu leve a fé.
Onde houver erro, que eu leve a verdade.
Onde houver desespero, que eu leve a esperança.
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria.
Onde houver trevas, que eu leve a luz.

Ó Mestre, fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.

Pois é dando que se recebe.
É perdoando que se é perdoado.
E é morrendo que se vive para a vida eterna.

Porém, os versos em negrito não estão corretos. A tradução alterou o sentido desses versos.
E foi dessa forma que eu descobri:

No ano de 2020 passamos um ano na Itália, mais precisamente em Rieti, centro do país e onde São Francisco passou boa parte de sua vida.
E visitei lugares incríveis onde São Francisco viveu. Lendo os escritos dele, originais em italiano, lembrei-me de um fato que ocorreu comigo durante uma vivência espiritual no ano de 2013.

Tive um insight sobre a oração de São Francisco tão conhecida e os seguintes versos:
Ó Mestre, fazei que eu procure mais:
consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.

Como podemos amar mais ao outro do que a si mesmo, indo contra o 2.º mandamento “amar ao próximo como a si mesmo”?

A resposta eu tive quando li o livreto Lettera di san Francesco a tutti gli abitanti della terra (Edizioni Porziuncula) e descobri que a tradução desses versos da oração de São Francisco em português tem um erro muito grave para o entendimento do amor. “Que eu procure mais amar do que ser amado, na verdade o original é:
“Maestro, fa´ chei io non cerchi tanto
Di essere consolato, quanto di consolare;
Di essere compreso, quanto di comprendere;  
Di essere amato, quanto di amare.”

Literalmente:
“Mestre, faz com que eu não procure tanto
Ser consolado quanto consolar;
Ser compreendido quanto compreender;
Ser amado quanto amar.”


Encontrei a tradução correta em inglês:

O divine Master, grant that I may not so much seek
to be consoled as to console,
to be understood as to understand,
to be loved as to love.
For it is in giving that we receive,
it is in pardoning that we are pardoned,
and it is in dying that we are born to eternal life.O divine Master, grant that I may not so much seek
to be consoled as to console,
to be understood as to understand,
to be loved as to love.
For it is in giving that we receive,
it is in pardoning that we are pardoned,
and it is in dying that we are born to eternal life.

https://www.cathedralstm.org/about-our-catholic-faith/expressing-our-faith/treasury-catholic-prayers/prayer-st-francis-assisi-prayer-peace/

Em espanhol:
Oh, Maestro, haced que yo no busque tanto ser consolado, sino consolar;
ser comprendido, sino comprender;
ser amado, como amar.

Porque es:
Dando , que se recibe;
Perdonando, que se es perdonado;
Muriendo, que se resucita a la
Vida Eterna.
https://www.ewtn.com/es/catolicismo/devociones/oracion-de-san-francisco-de-asis-15183


Em francês:
O Seigneur, que je ne cherche pas tant à
être consolé qu’à consoler,
à être compris qu’à comprendre,
à être aimé qu’à aimer.
https://eglise.catholique.fr/approfondir-sa-foi/prier/prieres/372202-priere-de-saint-francois-dassise/

Portanto, a tradução no português dá o sentido de amar mais ao outro que a si mesmo, e no original mantém o equilíbrio do segundo mandamento: ama a teu próximo como a ti mesmo. Fiquei aliviada! Essa para mim, é umas das falhas mais graves no sentido da espiritualidade cristã e do caminho do amor. É não dar a importância devida à necessidade do equilíbrio no caminho da ascensão da alma.

Por esse exemplo, podemos imaginar como as escritas também não sofreram alterações nas traduções e assim estamos sempre a mercê dessas fragilidades. Tem toda diferença ( desejar amar mais do que ser amado ) e ter o equilíbrio de amar ao próximo como a si mesmo.

Particularmente, o ensino de Jesus através de parábolas, comparações, nos preservou de tantas interpretações e nos colocou na responsabilidade de por nós mesmos, buscarmos o entendimento de seus ensinos preciosos no caminho da ascensão da alma e do equilíbrio na terra.

Muitas vezes, em circunstâncias extremas, no caminho do Amor podemos ter que agir por um Bem Maior por amor a Deus sermos capazes de sacrifícios altruístas.
Porém jamais será uma regra e sim uma exceção que o próprio Espírito Santo nos esclarecerá da necessidade de tal ação.
Ensinar o caminho do Amor em Equilíbrio a nossos semelhantes e a Deus sobre todas as coisas é o caminho da justiça e da harmonia entre nós.
Como está escrito.

Sobre o Autor

Stela Vecchi

Stela Vecchi estuda sobre Amor e Felicidade há mais de 40 anos. Fundadora da Escola Feng Shui Lógico, também chamado de Feng Shui Solar, é um método prático e consagrado que simplifica o Feng Shui sem alterar sua essência milenar. Sua técnica é válida para os Hemisférios Norte e Sul. Feng Shui Lógico busca criar o equilíbrio nos ambientes para facilitar a conquista de seu equilíbrio pessoal. O resultado é uma residência mais aconchegante e que favorece a saúde, a harmonia, a prosperidade. E Amor: sem equilíbrio, o Amor não permanece. Acesse nosso canal: youtube.com/fengshuilogico Livros publicados: Feng Shui Lógico, Ícone Editora, SP, 2004, 3.ª Edição No Céu do Hemisfério Sul – Brasil, um Novo Começo, Edição de Autor O Caminho da Sabedoria, Edicon

Veja mais conteúdos

Também do seu Interesse

Comentários

Participe da conversa

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Atendimento WhatsApp