Santa Maria del Fiore, catedral de Florença (Firenze)

DUOMO DE FIRENZE – SANTA MARIA DEL FIORE

Duomo” é uma palavra que deriva de “domus”, isto é, “casa”. O Duomo é a casa de Deus e de seu povo.

Firenze ( Florença) é bela. O conjunto arquitetônico magnífico tem o poder de nos enlevar a alma e abrir novas percepções, se estamos abertos para absorver sua arte esplêndida.

Caminhando pela sua nave, à direita encontra-se esse altar onde se vê o Pai e o Filho coroando a Mulher (Santa Maria Del Fiore) que recebe diretamente o Espírito Santo. Tornando-se a representação do próprio Espírito Santo.

Quanto ensinamento ao contemplar essa bela imagem!

A Mulher “Ancila di Dio”, como se vê escrito na porta lateral direita, é coroada em seu interior tornando-se o próprio Espírito Santo.

A Flor dos Tempos
A pureza do Yin ou a Plenitude da energia Feminina

A preparação de uma nova concepção que adentra em nosso planeta leva eons de tempos.

A plenitude do feminino é a contemplação, a percepção silenciosa do mundo que carrega dentro de si.

A nutrição dessa energia vem do lado esquerdo do coração. Ascensionado pela razão iluminada pelo sentimento mais puro e profundo que brota dentro dele.

Na interioridade do Yin que se manifesta plenamente a energia do Feminino.

A mulher é fecundada em seu centro, no ponto mais sagrado de seu corpo.
Encontrar essa verdade dentro de si mesma, como o tesouro encontrado enterrado na terra, que esconde tudo em suas entranhas.

Ter o feminino manifestado dentro de si, de sua alma – a anima descrita por Jung – é possuir a doce e inexprimível alegria da interioridade.

O grande mistério que precisamos compreender: no cerne da religiosidade católica, vemos o reconhecimento da divindade da energia feminina que se tornou tão obediente a Deus e tão pura, revelando todo seu suave poder.

A mulher retirada da costela de Adão.

O que temos envoltos pela costela? Na costela encontra-se o coração e os pulmões, com toda a simbologia que esse ato encerra:

A mulher ao ser criada a partir da costela de Adão, torna-se seu coração, sua respiração. O homem ama através do amor que recebe da mãe, e de sua mulher quando se esposa.

Porém, essa reflexão é simbólica também: o homem que não se casa ou que não encontra na mãe ou na esposa o amor que busca, também pode amar buscando a suavidade do amor que existe em Maria, mãe de toda a humanidade. A Mulher dona de suas emoções, com a Luz a seus pés, como revela o Apocalipse.

Resgatar essa verdade torna-se imperioso para que o equilíbrio entre o Masculino Sagrado e o Feminino Sagrado cure o planeta.

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *