Insights por Anamaria Lopes Rodrigues

Dança da Vida

Nuvens cinza pelo céu passeiam…
Chove mansamente…
A música inunda o ambiente de pureza e encanto…
Na alegria, na saudade,na tristeza…
Na dança da vida…
Sinto aflorar em mim, algo inexplicável e divino.
Neste instante íntegro me com as forças do Universo, e certeza tenho da existência do paraíso.

Essência e Transcendência

Nas entrelinhas do tempo
Saio do casulo do meu coração.

Nas entrelinhas do tempo
Sou eu menina mulher.


Nas entrelinhas do tempo
Encontro no final do arco iris,
O pote onde meus sonhos se escondem.


Nas entrelinhas do tempo
Compreendo a solidão da minha essência só.


Nas entrelinhas do tempo
Vivencio o mais puro e profundo amor.


Nas entrelinhas do tempo
Inicio a longa viagem de volta para casa!

Em um certo dia de outono…

O sol vai se escondendo entre nuvens, aos poucos o céu escurece nessa terra de Itaara.
A chuva a princípio, cai mansinha sobre a terra seca.
Os pássaros rapidamente procuram seus abrigos, e as borboletas passam céleres pelos nossos olhos.
A paisagem se modifica, e agora a chuva cai forte, como flechas, sobre a terra agradecida, levando também nossos medos e incertezas.
O barulho da chuva sobre o telhado de zinco se transforma em um mantra, e a alma se aquieta com o sono que vem.
Ao amanhecer no horizonte, o encontro do sol com a lua, torna o momento glorioso e indescritível.
A natureza toda se renova.
O sol que vai despertando manso e enamorado , transforma a copa das árvores ainda molhadas pela chuva, em mandalas de cristais coloridas.
Os pássaros entram em felicidade imensa, e seu canto nos encanta e enternece.
Mais um belo dia nessa terra que os índios chamavam de Altar de Pedra.
Nosso altar é a natureza, com as diferentes manifestações do Criador!
Gratidão por aqui estar.


Acompanho o por do sol neste entardecer de final de inverno.
O horizonte se pinta de vermelho e seus reflexos tornam minha cidade toda dourada. Para deixar mais belo este entardecer, uma revoada de pássaros surge no céu, e voam em direção ao sol. Suas pequenas asas parecem paralisadas peregrinando pelo espaço. Meus olhos se fixam neste espetáculo e num instante me sinto voar com eles.

Me pergunto,de onde vêem, para onde migram,que terras buscam neste voo silencioso e ordenado? Em que braços de árvores buscam o seu descanso? Que desafios enfrentam até chegar ao seu destino? Seguem serenos,confiantes neste voar…

Também nós como peregrinos, migramos para outros espaços, tempos, levando junto nossas vivências, aprendizados, dores e alegrias. Um dia estaremos no final da jornada, e partimos para uma “terra pura”,voltamos para casa,nossa verdadeira morada, onde braços amorosos nos esperam.
O sol já se escondeu,e a lua cheia já aparece com algumas estrelas que já começam a bordar seu manto de luz.
A vida…é um grande presente!!

Anamaria Lopes Rodrigues

Sobre ela mesma:

Estou como Anamaria nessa passagem pelo nosso lindo planeta.
Sou uma buscadora de entender essa essência que habita esse corpo que tenho para chegar até o jardim da minha alma.


Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *