O que é Ba-guá?
Qual a origem do Ba-guá Feng Shui?

   

Conta uma lenda muito antiga que na China, há muitos séculos atrás, há mais ou menos 5.000 anos, na época da descoberta do Pólo Norte celeste e provavelmente da agulha magnética, um sábio imperador chinês chamado Fu Hsi descobriu um método de colocar nossas construções em harmonia com o Céu que nos envolve. É muito profunda essa sabedoria, abarca as energias Yin e Yang e todos os elementos que compõem a Vida.

Definiu de forma simples e prática que o Tao (a Realidade última de todas as coisas) é como um “quadrado sem pontas”, ou a figura geométrica de transição entre o quadrado e o círculo: portanto, um octógono.

O octógono tem 8 lados: ba-guá (oito lados em chinês). Representa a transição entre o círculo (símbolo do Céu) e o quadrado (símbolo da Terra).

Representa também que tudo está em contínuo movimento, o yin e o yang alternando-se até encontrar o equilíbrio entre forças opostas e iguais.

     Essa conclusão sobre o ba-guá pode ter sido fruto da observação que fez ao ver uma tartaruga negra gigante que saía do Rio Amarelo.

     Quando ele se aproximou dela, viu com admiração que em seu casco havia o desenho de um quadrado perfeito com nove divisões iguais. Ora, o casco de uma tartaruga possui as bordas ovaladas, portanto, podendo associar-se a um “quadrado sem pontas”, como escreve Lao Tsé em seu Livro das Virtudes.

    Dessa comparação nasceu o Ba-guá, que significa oito lados, um método para auxiliar a colocar nossas vidas e construções em harmonia com os eixos Norte / Sul e Leste/ Oeste através dessa descoberta.

     Funciona assim: o centro do Ba-guá, a área mais importante, é colocado no centro do local que se quer harmonizar e seus lados alinhados com os eixos Norte/Sul e Leste /Oeste, determinado pelo nascer e pelo pôr-do-sol com as direções intermediárias também: Nordeste, Noroeste, Sudoeste e Sudeste. Cada lado também se relaciona com um elemento da natureza e corresponde a uma época, a uma estação do ano.

   

O Ba-guá é um instrumento, um facilitador. O Ba-guá possui um centro, onde é gerada a estabilidade da figura:

Cada lado corresponde a um trigrama, uma energia relacionada com uma fase da estação do ano, e seu centro ao Yin e Yang.

     Lao Tsé definiu o céu na terra como um quadrado sem pontas, um octógono. Se você imaginar, ainda podemos “ver” essa figura, o octógono, em movimento, mostrando a transitoriedade de todas as coisas e a necessidade do centro dessa figura em equilíbrio.

      O círculo dentro da Terra, que está continuamente em movimento, ainda significa que tudo está em constante transformação e se modificando. O movimento é tão uniforme que parece estático, mas é dinâmico porque nunca se repete exatamente igual, sempre é um novo ponto em relação ao anterior e essa é a base da vida: o movimento em espiral.

     O Ba-guá exprime esse movimento quando alinhado aos eixos Leste/Oeste e Norte/Sul e aplicado no centro de nossas casas e de qualquer local que se deseja harmonizar com o Céu e a Terra. Escolas, empresas, prédios públicos, praças, entradas de cidades, enfim, qualquer local, nos harmoniza com os movimentos do Sol, que é uma estrela de 5.ª grandeza, e das Estrelas que acontecem no céu. Porque reconhecendo que eles estão em harmonia com o universo, alinharmo-nos com eles é, humildemente, reconhecer a ordem cósmica que realiza a vontade divina através desses luminares.

      Alinhar escolas, prédios públicos, com o Sol e as Estrelas pode surtir efeitos benéficos sobre toda a sociedade.

     São Francisco, em seu Cântico das Criaturas, nos ensina que o Sol simboliza Deus nas Alturas. Nos diz que o Sol é a imagem de Deus, da sua Luz. Então, trazemos o Céu para a Terra.

     As grandes soluções são simples: nós é que não as vemos. Através dessa disposição, as coisas começam a entrar em seus eixos, trazendo o tão almejado equilíbrio. São necessários acompanhamentos de facilitadores na área, para que os ajustes sejam feitos assim que necessários, como instruções para que possamos evoluir junto com esses conceitos.

Essa é uma “nova antiga” forma de enxergar a Vida, em seu contexto todo, não somente em partes.  Porque a Vida é um tecido interligado. Fazemos parte de um quadro maior.

Aplicando o Ba-guá

    Resumindo, Ba-guá significa oito lados em chinês, é uma espécie de mapa que representa as oito direções cardeais e as estações do ano.  Vamos agora aprender um método muito antigo: é muito importante que você compreenda como funciona, porque de outra forma poderia resvalar para o perigoso terreno do fanatismo ou da superstição, que é o oposto do que precisamos neste momento delicado de nossa história; precisamos  crescer cada vez mais em nossa maturidade e termos visão sábia sobre tudo que nos cerca.

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *