Devemos ou não adaptar o Ba-guá para o Hemisfério Sul de nosso planeta? Efeito Coriolis é real?

Blog

O Feng Shui nasceu da intenção de colocar o ser humano em sintonia (harmonia) com as forças naturais. O que a natureza nos diz é que em nosso planeta tudo gira em função da energia solar. O fengshuista antes de mais nada é um contínuo e profundo observador da natureza e de seus sinais.

A Terra gira em torno do Sol gerando as estações do ano conforme os ângulos e as distâncias da incidência da luz solar sobre as regiões geográficas da Terra. E nós sofremos as influências das regiões e seus climas de forma evidente em nossas vidas.

Sobre a adaptação do ba-guá para o Hemisfério Sul pesquisei muitos livros. Porém, só o I Ching – o livro das mutações – Richard Wilhelm, com prefácio de C.G. Jung conseguiu me ajudar a entender o Ba-guá.

Aqui se ressalta a correspondência entre o curso do ano e o curso do dia. … Os trigramas são atribuídos às estações do ano e aos pontos cardeais… Com o despertar da Primavera a natureza começa a germinar e a brotar. Isso corresponde ao amanhecer, ao início do dia. Este movimento que arranca da inércia é atribuído ao trigrama Chên, o Incitar, que surge da terra sob a forma do trovão e da força elétrica. Sopram, então, as suaves brisas, renova-se o mundo das plantas, cobre-se a terra de verde. Isso corresponde ao trigrama da Suavidade, do Penetrante. … (I Ching Pág. 208).

Em primeiro lugar: qual a função primordial deste símbolo milenar, o ba-guá?

Ligar o ser humano à natureza de forma a viver em harmonia com ela, base de nossa vida humana, e assim atingir sua plenitude física, emocional, mental e espiritual. Para isso descreve as virtudes dos oito trigramas: Trovão, Vento, Fogo, Terra, Lago, Céu, Água, Montanha. Age de forma prática, funcional mas também simbólica.

Na realidade, são dois ba-guás:

O Ba-guá da Seqüência do Céu Anterior atribuído a Fu Hsi não deve sofrer alteração. Nele os trigramas estão colocados em pares de opostos, buscando a ligação Ser Humano / Céu.

Esse ba-guá representa o paraíso, o Jardim do Éden, onde a vida transcorre de forma harmônica, porque os elementos estão naturalmente em equilíbrio, como ensina a filosofia básica: a vida benéfica é o resultado de duas forças opostas e iguais, portanto em equilíbrio. Yin e Yang.

Porém, Rei Wên (1123 a.C.), sentiu a necessidade de ajuste para o momento (tempo e espaço) e a ordenação dos trigramas sofre modificações essenciais. Estabeleceram-se correlações entre os pontos cardeais e as estações do ano. (pág. 207).

Esse é o ba-guá utilizado atualmente, denominado Ba-guá da Seqüência do Céu Posterior, que busca a integração do Ser Humano / Espaço que ocupa na Terra com as peculiaridades das regiões geográficas / Céu.

E fica claro: conforme estudamos os Cinco Elementos associados às Quatro Estações percebemos que o ser humano sofre influências da região e das suas circunstâncias de habitação além das características de sua energia pessoal (segundo as características de seu mapa astral, de seu signo chinês e da numerologia) , para o pleno encontro de si em harmonia com tudo que o envolve, e tendo como pistas também a astrologia: com seu TAO, com ensina Lao Tsé.

Como toda área de estudo científica, casos complexos necessitam de estudos profundos.

É óbvio que se uma construção está em um deserto, ou na linha do Equador, ou no Himalaia, ou nos pólos, teremos que observar como os elementos agem sobre a casa e buscar equilibrar os elementos de forma a criar ambientes os mais confortáveis e agradáveis possíveis favorecendo a vida de seus moradores, além das ativações de todas as áreas do ba-guá, exigindo uma análise mais detalhada e minuciosa, podendo inclusive usar de radiestesia. Feng Shui é um estudo complexo e profundo que busca trazer a plenitude através da ativação em nossas vidas de todas as áreas do ba-guá.

Quanto ao artigo abaixo, ele analisa de um ponto de vista que não leva em consideração o objetivo básico do Feng Shui: auxiliar a cada ser humano de qualquer parte do planeta que busca e utiliza seus conhecimentos a viver mais feliz. E só quando o Feng Shui atinge esse objetivo, ele está justificado.

Em ordem de importância, podemos dizer que são esses os principais fatores visíveis na análise do Feng Shui Lógico:

A partir do centro da construção, verificar o caminho diário do Sol sobre a casa, gerando os lados primavera e final da primavera ( Família/Saúde e Prosperidade); verão e final do verão ( Sucesso e Relacionamentos); outono e final do outono ( Criatividade/Filhos Menores e Amigos, Viagens e Proteção Espiritual); inverno e final de inverno (Trabalho/ Missão de Vida e Autoconhecimento e Balanço de Vida), com suas respectivas correlações.
Paralelamente, um estudo minucioso de tudo que cerca a construção e a análise estrutural procedendo às curas ambientais.
Verificar a melhor disposição para os móveis e procurar colocar a decoração da casa em harmonia com os trigramas segundo sua correspondência com as estações do ano.
Na parte transcendental, verificar histórico, ocorrências mais comuns, e aplicar as curas transcendentais e as benções de espaço.

Desde 2003 aplico nessa ordem as técnicas e orientações do Feng Shui, onde associo também a psicologia Junguiana e a visão da teoria da relatividade de Einstein como auxiliares na compreensão de cada caso. Os resultados têm sido sempre compensadores.

Estou à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Fraternalmente,

Stela

Esse texto foi enviado por Fabiana e defende a não alteração do Ba-guá para o Hemisfério Sul.
Os comentários da Perspectiva do Feng Shui Lógico, que defende a adaptação, estão em negrito.
Essa é uma importante questão feita por pessoas de todo o mundo: se devemos ou não alterar o Feng Shui para o Hemisfério Sul de nosso planeta. Sabemos que os hemisférios são como espelhos, refletindo determinadas energias de maneira oposta.

Alegação 1

“Existe uma força na terra, chamada Efeito Coriolis, causado devido à rotação da Terra e à sua forma arredondada. Ele é visível no movimento dos ventos e das correntes marítimas, como também de ciclones e tornados, sendo muito importante para calcular a trajetória de vôos e aviões, mísseis e foguetes. Esta força atua no sentido anti-horário no hemisfério norte e horário no hemisfério sul. De acordo com as diferenças existentes nos dois hemisférios graças a força de Coriolis, devemos alterar as teorias para o hemisfério sul”.

Comentário:
As causas são outras da necessidade da adaptação. O posicionamento da Tartaruga no elemento Água é argumento muito mais forte do que esse.

Alegação 2

“Além disso, como o Feng Shui foi criado no hemisfério norte, e apenas muito tempo depois os chineses foram conhecer a existência de outros continentes na terra (e assim o hemisfério sul), ele deve ser adaptado às diferenças existentes. China em chinês significa Reino Central, pois os antigos chineses pensavam que eles eram o centro do mundo. Os chineses consideram o sul como uma direção sagrada, de onde vem o sol, o calor e conseqüentemente, a vida. Mas no hemisfério sul, o calor vem do norte, ao contrário. Para completar, o norte do hemisfério norte é frio e o sul é calor. No hemisfério sul é o contrário, o norte é calor e o sul é frio, a imagem de hemisférios espelhados. Esse fato também pode ser relacionado com as estações do ano, que são diferentes”.

Comentário:
Argumento de acordo com os trigramas correlacionados com as estações do ano e os Cinco Elementos. Procede.

Mas se analisar de acordo com as teorias originais do Feng Shui…..

Comentário:
A fonte original do Feng Shui é o I Ching – o livro das mutações – descreve os dois ba-guás. O Ba-guá da Sequência do Céu Anterior não deve ser alterado, porque nele os trigramas estão dispostos em pares de opostos. Já no Ba-guá da Seqüência do Céu Posterior os trigramas foram retirados de sua posição original e associados às mudanças das estações do ano (pag. 207 do livro citado). Esse é o Ba-guá utilizado atualmente.

“Em primeiro lugar, não podemos dizer que as teorias devem ser mudadas apenas pelo fato de que o aspecto climático é diferente nos dois hemisférios. Existem regiões na Terra que possuem climas diferentes de acordo com muitos fatores, como a presença de montanhas, oceanos, florestas e desertos, além da influência de massas de ar quente e frio. Resumindo, existem inúmeras coisas que devem ser levadas em consideração antes de concluirmos um fato que não é óbvio. Não existe um modelo perfeito do clima na Terra. A análise de qualquer Atlas irá revelar as inúmeras diferenças entre climas de regiões situadas na mesma latitude. Isso é particularmente importante se estudarmos as regiões no hemisfério norte que estão na mesma latitude da China. Veremos que o clima não é igual, e isso é um importante fator para eliminar a questão do clima como determinante das mudanças. Além disso, não podemos esquecer que o Chi não é apenas relacionado ao calor, mas também a energia eletromagnética, geomagnética, movimento e vibração. Seria um grande erro classificar o Chi como fator climático.”

Comentário:
Observação profunda da realidade é o grande requisito para prática do Feng Shui. Sem analisar as particularidades, podemos, de uma forma geral, verificar que o ser humano que vive em região montanhosa apresenta um comportamento diferente do que vive à beira-mar, por exemplo. Feng Shui busca o estudo do nosso habitat para poder criar condições favoráveis à vida humana através do equilíbrio dos elementos físicos e vibracionais. Não seria lógico desprezar as condições ambientais na análise do ambiente. Tudo está em contínua mudança, essa é a base filosófica da energia da vida. Por que o próprio Feng Shui não levaria em conta as mudanças que as estações provocam na natureza e por conseqüência, na vida humana? Como criar ambientes em harmonia sem levar em consideração a força do Sol – Fogo – em relação ao sucesso? E que o excesso de Sol – Fogo- pode dificultar o bem-estar e, portanto, pensamentos serenos? O estudo profundo dos trigramas nos leva a compreender o Feng Shui e a sentir todos os elementos. Aumenta nossa percepção sobre a influência que as estações do ano exercem sobre nós. E isso só é possível quando estamos em sintonia com as mudanças climáticas, seja em qualquer parte do globo, com suas peculiaridades.

Sinto esse argumento como falta de sensibilidade e flexibilidade diante das visíveis influências do inverno, do verão, de cada estação sobre nossa vida.

“Não devemos esquecer que as divisões da Terra em duas partes, chamadas hemisférios, são uma construção humana baseada em um conceito imaginário. Elas foram criadas para nos ajudar e nada mais. O mesmo acontece com o Meridiano de Greenwich. Ele é um meridiano, um conceito imaginário. Da mesma maneira que dizemos que existem o hemisfério norte e o sul, podemos dizer que existem o hemisfério ocidental e o oriental, todos baseados em conceitos cartográficos. Se formos dividir a área de influência das teorias do Feng Shui de acordo com condições climáticas, então teremos que dividir a Terra em 3 zonas, a polar, a temperada e a tropical. Não existe lógica nem razão nisso.”

Comentário:
Aí ele extrapolou porque está indo contra o conceito fundamental do Feng Shui: Yin e Yang são as representações também das duas distintas metades da Terra, os hemisférios norte e sul, representados na astronomia pelas estrelas-guia Polaris (H.N) e Alpha-Crux (H.S). Já os hemisférios oriental e ocidental representam o caminho do Sol diário, que nasce no Leste (Oriente) e se põe no Ocidente, ou poente. O verbo orientar-se vem daí, nos orientamos através do caminho do Sol sobre a Terra. O Sol traz a Luz e nossa saúde está diretamente ligada à quantidade de luz que absorvemos.

Sem algumas convenções seria difícil criar pontos de referência para que avançássemos em nossos estudos geográficos. Por outro lado, as convenções podem criar paradigmas:

Convencionou-se o mapa da Terra com o Hemisfério Norte em cima, mas poderia ser o contrário, já que as duas posições se equivalem.

— Interessante perceber essa realidade. Apesar de a Terra estar dividida geograficamente em dois hemisférios, gerando circunstâncias e características próprias em cada “metade”, vejo com preocupação que as pessoas responsáveis pela introdução de conceitos gerados no Hemisfério Norte não costumam adaptar à nossa realidade geográfica, cultura, língua, esses mesmos conceitos. Continuamos uma colônia cultural, recebendo esses conceitos indiscriminadamente.
O primeiro passo para nos libertarmos é divulgar e esclarecer de forma maciça nossa posição geográfica e as nossas particularidades.
Do ponto de vista do Feng Shui, acontece a mesma coisa, sendo necessária sua adaptação para nossa realidade.
(Trecho de O Caminho da Sabedoria – Stela Vecchi – Edicon)

“Uma pergunta interessante: como sabemos se uma casa construída em Quito, no Equador, está situada no hemisfério norte ou sul? Para isso, precisamos de equipamentos como um GPS (sistema de posicionamento global), que nos diz a latitude e longitude em que estamos baseado em dados de satélites. E se uma casa estiver precisamente sobre a linha do Equador? Qual teoria iremos usar? Não podemos esquecer a questão do equador, pois sabemos que existem cinco diferentes tipos de equador. Qual deles iremos usar?”

Comentário:
A simples teoria da observação do caminho do Sol sobre a construção, a partir do centro dela. Os primeiros raios de Sol sobre a casa revelam o lado primavera dessa construção: o lado Trovão que também corresponde à Família e à Saúde.

E como toda área de estudo científica, casos complexos necessitam de estudos profundos.

É óbvio que se uma construção está em um deserto, ou na linha do Equador, ou no Himalaia, ou nos pólos, teremos que observar como os elementos agem sobre a casa e buscar equilibrar os elementos de forma a criar ambientes os mais confortáveis e agradáveis possíveis favorecendo a vida de seus moradores, além das ativações de todas as áreas do ba-guá, exigindo uma análise mais detalhada e minuciosa, podendo inclusive usar de radiestesia.

“Equador geográfico
Construído de acordo com as idéias humanas e facilidade para a cartografia. Forma a linha de referência imaginária na superfície da Terra da qual a latitude e a longitude são calculadas. Não é uma coisa real e não podemos levá-lo em consideração.”

Comentário:
O Sol, o maestro da Vida na Terra que comanda esses ajustes… Um fengshuista olha e observa o Céu, onde se encontram o Sol e as estrelas e se guia por eles além de todos os outros fatores.

“Equador geomagnético
é uma linha imaginária situada em um ponto médio entre os pólos magnéticos norte e sul. Ela é medida de acordo com a força relativa de cada pólo a cada ano. Sabemos que o campo geomagnético é formado com fatores complexos e sempre variáveis devido ao seu constante estado de fluxo. Se formos levar em consideração esse equador, então as análises feitas próximas a ele, terão que ser modificadas sempre que o campo geomagnético sofrer alterações.”

Comentário:
E por que não? Uma forma mais simples: observe as mudanças nos ambientes através da luz solar sobre eles, que muda conforme a estação do ano.

“Equador climático
Também conhecido como Zona de Convergência Intertropical (ICZ), uma linha de mudança que separa condições climáticas. Entretanto, a linha sofre alterações aleatórias, sem um princípio definido. Alguns eventos climáticos, como ocorrem, por exemplo, na Índia, podem levar a Zona de Convergência para locais mais altos que o Trópico de Câncer.”


Comentário:
Insisto que a simples observação do Sol e das Estrelas resolve essa questão.

“Equador solar
é o centro entre os solstícios, baseado no efeito da distribuição da radiação solar. Se levarmos esse sistema em consideração, teremos que checar pequenas perturbações na rotação da Terra, conhecidas como libração, principalmente a nutação e o movimento polar.”


Comentário:
Idem à anterior.

“Talvez o fator mais importante a ser considerado, é que o Feng Shui é influenciado, principalmente, pelo campo geomagnético terrestre. Não importa onde estamos na superfície terrestre, ele influenciará as construções da mesma maneira. A influência climática possui efeitos secundários e não determinantes das teorias do Feng Shui. Isso é particularmente importante para os arquitetos, que irão posicionar as casas em diferentes direções nos dois “hemisférios” de maneira que o movimento do sol incida sobre certas áreas internas, tornando-a mais agradável para viver. Fica claro que os antigos Mestres sabiam claramente reconhecer e descrever os efeitos do magnetismo, principalmente discutindo as teorias do Yin Yang e Cinco Elementos.”

Comentário:
Discordo. Feng Shui nasceu da observação da terra, da geomancia, e de tudo que a cerca. Não só do campo geomagnético. A decoração exerce profunda influência, podendo ser até mais importante na grande maioria dos casos. Muitos efeitos nocivos se neutralizam através das cores, da posição dos móveis, dos objetos de curas, etc. E Feng Shui e Arquitetura não são antagônicos, pelo contrário, são conhecimentos que se unem quando buscam a mesma coisa: a harmonia do ser humano com a natureza que o cerca e o liga ao Céu. No Feng Shui Lógico esse assunto é amplamente explanado
.

“Se formos considerar teorias mais avançadas do Feng Shui, como os cálculos envolvendo elementos do tempo e os famosos ciclos yun, chegaremos à conclusão que não podem ser modificados. Segundo essas teorias, o alinhamento dos planetas do sistema solar determina o início dos ciclos. Essa energia é causada pela força gravitacional de cada planeta sobre a Terra. O calendário chinês também é baseado nesse alinhamento. Se formos considerar a força gravitacional incidindo sobre a Terra, não importa em qual hemisfério estamos, toda a superfície terrestre receberá a mesma energia. Se mudarmos as datas dos ciclos para o hemisfério sul, os planetas estarão fora do alinhamento, provando que as modificações não podem ser feitas.”


Comentário:
Se, se, se… Atualmente o Feng Shui representa um grande auxílio para qualquer situação problemática, minimizando os problemas e diminuindo o sofrimento humano. E alguns não querem que esses efeitos vistos e sentidos por qualquer pessoa que usufrua dos benefícios do Feng Shui sejam difundidos por causa de hipotéticas teorias, passíveis de evolução como a própria vida que segue seu ritmo acreditemos ou não.

“Para alterar as teorias, não podemos nos basear apenas nos elementos externos. Temos que mudar a origem. Se isso for feito com as duas seqüências do I Ching, estaremos indo contra sua criação, características e propriedades. Depois de muitas pesquisas, experiências práticas e as explicações acima, penso que não devemos alterar as teorias. O Feng Shui pode ser praticado da mesma maneira nos dois hemisférios. Os antigos chineses certamente sabiam, de alguma forma, do tamanho da Terra e como as energias influenciavam todo o planeta. O Feng Shui é um estudo complexo de uma grande sabedoria, e simplesmente não podemos querer supor que os antigos Mestres não sabiam o que estavam fazendo.”


Comentário:
Os Antigos Mestres estavam no Hemisfério Norte e viviam no Hemisfério Norte. Ao correlacionar os trigramas no ba-guá às estações do ano, é claro que onde a simbologia do trigrama não fosse coerente com a energia característica da estação deveria ser feita a adaptação.

Esse argumento não procede.

Stela Vecchi

Leia o Livro Feng Shui Lógico, Stela Vecchi, Ícone Editora, 2004

feng-shui-logico-stela-vecchi-icone-editora

Curso Básico com Stela Vecchi em São Paulo

Stela Vecchi é escritora e consultora de Feng Shui.
Autora do livro Feng Shui Lógico (Ícone Editora, SP, 2004), ministra cursos de Feng Shui Lógico, técnica que favorece a felicidade porque deixa sua casa harmoniosa e plena de energia benéfica.
Autora do livro No Céu do Hemisfério Sul – Brasil, um Novo Começo, onde analisa a bandeira brasileira de um ponto de vista inédito.
Seu último livro, O Caminho da Sabedoria, é sobre o amor e sobre o verdadeiro significado dos relacionamentos amorosos em nossa vida.

Visite também o site: www.fengshuilogico.com

One Comment

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *