A verdade de um encontro sexual.
Ele revela muita coisa sobre você.

Só quem se ama e respeita sabe amar: ninguém pode dar o que não tem…

cuzco
Cuzco é para mim uma das mais belas cidades do mundo. À noite, então… Cuzco é linda.

Já no hotel, enquanto me preparava para dormir,fiquei pensando no assunto delicado da vida sexual humana:
nós costumamos dividir a vida em compartimentos, esquecendo que somos uma pessoa única e que só quando integrada, sem conflitos, é que podemos desfrutar de toda a riqueza que a Vida proporciona. A beleza de um encontro sexual, por exemplo, é algo que poucos podemos de fato compreender diante da forma como nossa sociedade costuma tratar de um tema tão importante para cada um de nós: sem a reverência e o respeito que ele merece. O sexo não é só o vetor da vida física: ele também alimenta o corpo emocional, nossa necessidade de afeto e de sermos aceitos pelo outro, incondicionalmente.

Na verdade, há vários graus de procura de satisfação através do sexo, que vai desde a mais simples carência até a manipulação indevida dessa energia maravilhosa e transformadora. Enquanto nossa visão interior for turva, não conheceremos a pureza de um sentimento de fato.
Por isso, só os que se conhecem e se amam podem amar um outro ser humano: ninguém pode dar aquilo que não tem.
A verdadeira relação sexual, onde a entrega gerada pela confiança é total e irrestrita, começa a engendrar o Um. A dualidade integrada e aceita dentro de nós começa a criar o mundo de paz viva: opostos em completo equilíbrio, como ensina o Yin e Yang da Filosofia Oriental.

Tao
A Regra é que não há regras: quando o Bem Maior que existe em cada situação é buscado com empenho e transparência, sem subterfúgios, vemos com satisfação que a vontade da Criação é que sejamos felizes, que tenhamos o céu dentro de nós, sempre.
Respeitar todos os atos humanos de nossa vida, acolher nossa natureza, amá-la, é que nos faz dignos de nós mesmos e da Natureza que nos criou.

Penso que os ensinamentos de Jesus ainda não foram compreendidos pela maioria das pessoas: Ele nos trouxe a Liberdade através do conhecimento da Verdade, e a verdade liberta, nos faz livres.
Sentir e ser capaz de viver o sentimento dentro da maior verdade e transparência, nos traz o conhecimento e o discernimento. E aí começamos a permitir que essa Luz se manifeste dentro de nosso coração. Para os puros, todas as coisas são puras (Bíblia Sagrada). Para esses, a união sexual será um sentimento novo, ainda não adentrado pela maioria, porque será um sentimento, antes de tudo, da reconciliação dos opostos, sabendo que a atração positiva desses pólos é a Vontade Maior que determina.
E que colocam o sexo em seu devido lugar: fonte de nutrição emocional entre duas pessoas amadurecidas na emoção.
O Oriente trata esta questão com mais discernimento: para eles, o sexo puro (sem egoísmo) entre duas pessoas que estão no caminho da espiritualidade verdadeira pode levar à experiência da iluminação.

Como já intuiu Dante Alighieri, o Amor é a força que move o Sol e as estrelas. E com certeza não é fruto apenas de razão, mas da integração entre o sentimento e a Vontade Maior que rege a Vida.

Kávula estava acordada, lendo Sidarta, de Herman Hesse. Resolvi partilhar com ela minha experiência e meus pensamentos. Fechando o livro, deu-me toda sua atenção.
Olhando-me profundamente, Kávula considerou:
– Olhando tantos relacionamentos desgastados nos dias de hoje, onde poucos casais demonstram a alegria em estarem juntos, me parece que o amor é uma palavra que perdeu seu significado. Se nem sabemos o que é de fato o amor, como podemos amar?

– Você tem razão. Essa palavra perdeu seu significado, e é usada hoje sem critério. Porque para compreendermos seu significado precisamos sentir esse bem – estar, essa vibração tão pura dentro de nós. Só quem se ama, se aceita e ama também a Vida em toda a sua extensão pode de fato amar. Todo amor é uma forma de comunhão com a própria Vida que nos envolve e nos sustenta. Porque o Amor é de fato um alimento. Deus é amor. Um dia, em uma meditação mais profunda, compreendi que o amor é um lugar, uma nova vibração, e só quando de fato penetramos nela é que a podemos conhecer. Para isso, é preciso entrar pela porta estreita da qual Jesus fala. Enquanto não entramos nessa dimensão, confundimos amor com simples atração, com carências emocionais, etc. Você nunca viu pessoas que se massacram, se criticam mutuamente em pensamentos e até palavras e dizem que se amam, que não podem viver uma sem a outra?

– Já e sempre me soou esquisito essa situação.

– Claro: em meio a criticas constantes, e até destrutivas, uma pessoa ajuda a outra a ser cada vez melhor, ou, pelo contrário, cria dificuldades para sua auto-estima, tão necessária para ela se amar e assim poder amar também? O Amor faz bem, cria harmonia, alegria, e quando corrige, é sempre no amor, e procurando não ferir essa vibração tão gostosa e que desaparece quando nossas ações não são condizentes com sua permanência entre nós.

– Bem, vendo dessa forma, essa pessoa está agindo como verdadeiro inimigo.

– Quando Jesus disse que nossos inimigos seriam os de nossa própria casa, ele poderia estar se referindo aos sentimentos nocivos que podemos abrigar dentro de nós, mas também às pessoas que convivem conosco, dizem nos amar e agem contra nossa integridade, nos atacando por qualquer motivo. Essas pessoas não conhecem o amor, mesmo que digam amar a Deus.

– Agora entendo como é difícil encontrar a porta do verdadeiro amor: há tantas armadilhas! E o pior: são muito difíceis de serem vistas e desarmadas no amor, e não no revide ou na vingança, que são sentimentos que se voltarão também contra nós mesmos… Quem age assim em primeiro plano não se ama, é evidente.

– As árvores frutíferas para mim são belos exemplos do amor: pensa nessa imagem: uma árvore acolhe aos que a procuram, dando sua sombra, não se queixa se a ferem, e cria flores ou frutos cujo prazer é criá-los, não comê-los. E os cria silenciosamente e ainda purificando ao ar. Que fábrica de alimentos perfeita! E se ninguém faz conta de seus frutos não se vinga, e os cria novamente na próxima estação. Porém, cuida de si mesma enraizando-se profundamente na terra e retira do solo os nutrientes que precisa, confiando no Sol e nas chuvas que a alimentam. Através de suas sementes, a árvore é o símbolo da ressurreição da vida: ela vive eternamente em suas sementes germinadas. Mergulha as raízes na terra e estende seus galhos para o céu, abriga vidas rasteiras e as aves do céu: que integração entre os dois! Por isso a árvore é considerada como símbolo das relações harmoniosas que se estabelecem entre a terra e o céu.

– Quanta afinidade entre a árvore e o verdadeiro sentido da palavra perdida, amor!
– Como o Amor vem de Deus, os grandes espirituais são os que mais conhecem esse lugar chamado amor. Veja que profundidade guarda esta frase de Santo Agostinho: Ama e faze o que quiseres. Parece simples, mas só quem já sabe amar na acepção verdadeira da palavra, poderá fazer escolhas que gerem sempre uma energia muito positiva.
O I Ching, em sua sabedoria, nos ensina que para encontrar nosso lugar na infinidade de seres tanto é necessário separar quanto unir. E encontrar nosso lugar significa nos sentir em casa, confortáveis dentro de si mesmos. Possuir bem estar.

– Praticar o Amor-sabedoria exige de nós muita lucidez e discernimento, não é mesmo?
– Certamente.

Lembrando-me da conversa com Nickolas, quis conhecer a opinião de Kávula, e lhe perguntei:
– Você sabe qual é o verdadeiro significado dos relacionamentos que atraímos para nossas vidas?

Extraído de O Caminho da Sabedoria, Stela Vecchi, Edicon, 2007.
Leia O Caminho da Sabedoria, Stela Vecchi Dowload grátis – Clique aqui:


Download grátis – Leia O Caminho da Sabedoria, de Stela Vecchi

Capa Caminho

Stela Vecchi é escritora e consultora de Feng Shui.
Autora do livro Feng Shui Lógico (Ícone Editora, SP, 2004), ministra cursos de Feng Shui Lógico, técnica que favorece a felicidade porque deixa sua casa harmoniosa e plena de energia benéfica.
Autora do livro No Céu do Hemisfério Sul – Brasil, um Novo Começo, onde analisa a bandeira brasileira de um ponto de vista inédito.
Seu último livro, O Caminho da Sabedoria, é sobre o amor e sobre o verdadeiro significado dos relacionamentos amorosos em nossa vida.

Visite também o site: www.fengshuilogico.com

One Comment

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *