O Casamento Sagrado

E serão dois numa só carne.
O que Deus uniu não separe o homem.

Ao proferir essas palavras, Jesus não se referia à união sexual.
As confusões geradas pela interpretação dessas palavras nos acorrentaram a prisões corporais e o próprio tempo provou que casamentos mantidos apenas por aparências não tinham a capacidade de produzir a felicidade associada a um casamento por admiração mútua.
Poucos se aplicaram a explicar para a sociedade o matrimônio inválido referido por Jesus na mesma passagem.
E assim cometeu-se uma grande injustiça ao maior Mestre da Liberdade: conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará.

O Casamento Sagrado é um dos mais profundos mistérios da vida humana e de dificílima compreensão, porque significa a transição da dimensão da polaridade para a dimensão da unidade. E a compreensão de que espírito não tem sexo.

Jesus viu crianças de peito a mamarem. E ele disse a seus discípulos: Essas crianças de peito se parecem com aqueles que entram no Reino.

Perguntaram-lhes eles: Se formos pequenos, entraremos no Reino?

Respondeu-lhes Jesus:
Se reduzirdes dois a um,
se fizerdes o interior como o exterior, e o exterior como o interior,
se fizerdes o de cima como o de baixo,
se fizerdes um o masculino e o feminino, de maneira que o masculino não seja mais masculino e o feminino não seja mais feminino – então entrareis no Reino.

(O Quinto Evangelho – A mensagem de Cristo segundo Tomé. Tradução e notas de Huberto Rohden)

Tao

É preciso compreender que casamento é união. E que cada um de nós precisa estar casado, integrado, consigo mesmo. Essa integração produz um sentimento de êxtase infinitamente superior a qualquer sensação provocada apenas pelo corpo. São novas sensações desencadeadas por novos níveis de consciência.
Entramos no Reino a partir desse momento…

Enquanto não conhecemos outras fontes de prazer e somos excessivamente apegados apenas à vida do corpo não podemos imaginar sequer essa possibilidade: seria como explicar a um cego de nascença a visão da luz.

Stela Vecchi

3 Comentários

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *