Sobre todas as coisas, Deus – essa é a verdade que liberta

O oceano é formado pelos mares e pelos rios que nele desembocam.
Cada mestre trouxe uma peculiaridade, desenvolveu um ramo de compreensão da Vida. Foram e são como rios que desembocam no oceano da sabedoria, formado por afluentes caudalosos e também pelos regatos e fios de água que o compõem.
Porém há rios poluídos que também desembocam no mar, e hoje são tão numerosos que o próprio mar, apesar de seus mecanismos de defesa, inclusive possuindo o sal que conserva alimentos, se encontra impróprio para banho em várias praias do nosso globo.
Fazendo analogias, esses rios poluídos representam todos aqueles que disseminam doutrinas que cegam nossa visão. Os falsos mestres.
Como os reconheceremos?
Vigilantes e prudentes, como ensina a parábola das dez virgens, cada um de nós precisa manter sua lâmpada cheia de óleo, e até uma de reserva, isto é, manter seu espírito livre de sentimentos que nos fazem mal, e dar livre passagem aos que fazem bem.
Todos que fomentam divisões, que não trabalham pela união e pela paz entre nós são rios poluídos. O bem faz bem. Não há exceções.

Jesus acrescentou a necessidade de usar esses conhecimentos temperados pelo Amor exercido com Sabedoria:
Amai-vos uns aos outros, assim como Eu vos amei.

Amor, ágape, caridade, amor incondicional…tantos nomes mas o verdadeiro amor é um só: ou amamos ou não sabemos amar e criamos tantas expressões para nos confundir ainda mais. Quando amamos, temos bons sentimentos para com todos, não só para alguns; não julgamos; não condenamos. E temos o discernimento dos espíritos, fruto dessa visão sem preconceitos, que nos ensina a viver em sociedade conscientes dos vários graus de maturidade emocional e de pureza de intenção que existem entre nós.

Por essa razão, nesta passagem célebre de São Paulo, a palavra caridade foi substituída por Amor, no sentido abrangente dessa palavra.

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver Amor, sou como o bronze que soa, ou como o címbalo* que retine.
Mesmo que eu tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência; mesmo que tivesse toda a fé, a ponto de transportar montanhas, se não tiver Amor, não sou nada.
Ainda que eu distribuísse todos os meus bens em sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, se não tiver Amor, de nada valeria!
São Paulo aos Coríntios – Bíblia Sagrada
* Címbalo: antigo instrumento musical constituídos por dois meios globos de metal que se percutiam um contra o outro.

O Amor nos eleva à real dignidade humana.
O Amor é um Lugar desconhecido pela maioria de nós.
Porque Amor é o outro nome de Deus. Santificar esse nome é usá-lo apenas quando expressar essa verdade, na pureza de nossos corações.
O Amor justifica todos os nossos atos.
O Amor nos liberta dos condicionamentos, porque vemos de outro ponto de vista, de um novo lugar, do céu. E ver a Terra do Céu, modifica todos nossos conceitos e nos liberta de nossos preconceitos.
E sereis todos ensinados pelo Espírito Santo…( Bíblia Sagrada).

O tempo é agora.

Trecho extraído de O Caminho da Sabedoria,novo livro de Stela Vecchi

Stela Vecchi é escritora e consultora de Feng Shui.
Autora do livro Feng Shui Lógico (Ícone Editora, SP, 2004), ministra cursos de Feng Shui Lógico, técnica que favorece a felicidade porque deixa sua casa harmoniosa e plena de energia benéfica.
Autora do livro No Céu do Hemisfério Sul – Brasil, um Novo Começo, onde analisa a bandeira brasileira de um ponto de vista inédito.
Seu último livro, O Caminho da Sabedoria, é sobre o amor e sobre o verdadeiro significado dos relacionamentos amorosos em nossa vida.

Visite também o site: www.fengshuilogico.com

One Comment

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *