– Como agir quando nos sentimos agredidos ou incomodados com o comportamento de outra pessoa?

– Primeiro, é preciso saber se é mesmo o comportamento do outro a causa disso ou se é intolerância de nossa parte, ou ainda um reflexo da nossa insatisfação conosco mesmo. Se for falta de tolerância ou incompreensão de nossa parte, é preciso compreender que estamos sendo rígidos, nos modificar e aprender a respeitar a natureza do outro, é preciso flexibilizar.
Muitas vezes preciso dar atenção a alguma área de minha vida que não está bem. Pode ser que eu me sinta frustrada em alguma área. Que tal fazer um curso de dança, ou de arte marcial? Achar tempo para assistir um filme que queremos ver, comer um doce em um local gostoso… Fazer um curso de algo que nos interesse. Não desperdice sinais de que algo não vai bem em sua vida. Busque alternativas, seja criativa, e dê-se momentos de relaxamento, procure sentir que está viva, vivendo períodos de descontração.
Vou lhe contar como nasceu em mim essa certeza: eu já tive várias experiências onde senti o pulsar harmônico vital, mas tudo começou no dia em que me vi sozinha, no alto de uma montanha, em uma noite estelar e me senti tocada, me senti parte da vida que preenche todo o espaço cósmico. É mágico vivermos um momento desses. A convicção que brota dessa experiência é profunda, não há necessidade de palavras. Aliás, o silêncio sonoro que penetra em nós nos diz que tudo está bem, tudo está em seus lugares, por mais incrível que isso possa parecer. Tudo faz sentido: nossas lutas, nossas dores, e a paz profunda, serena e viva que conhecemos então é um indicador seguro de que o cosmos é regido por leis sábias. Estarmos conectados com essa Fonte significa recebermos tudo que necessitamos para superar os momentos difíceis que a vida traz e valorizarmos aqueles cheios de luz, amizade e amor e dos quais muitas vezes não temos toda a percepção, porque não estamos centrados em nossa órbita pessoal. Porque assim como os astros celestes se movem sincronicamente pelo espaço, respeitando seus ritmos próprios, nós humanos precisamos conhecer e respeitar o nosso ritmo pessoal, nossa órbita, para que possamos encontrar nosso eixo, nosso ponto de equilíbrio e nos sentirmos serenos e tranqüilos dentro de nós. E essa verdade mudou minha concepção da vida para sempre. Inclusive, que não adianta nada irritar-se…

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *