Bandeira do Brasil: a única do mundo a ter o retrato do céu estampado

Já foram feitas muitas interpretações do que estamos falando e nossa intenção é introduzir uma nova forma de interpretar esses símbolos diante dos conhecimentos que temos hoje. Não queremos mudar os fatos, mas enriquecer com novas visões sobre eles.

Sabemos que muitos símbolos e cores vieram da bandeira da monarquia, e esse é mais um fator para pensarmos no fato de a esfera armilar, instrumento usado em astronomia, representar o Brasil desde 1645 nas nossas Bandeiras. O ensino da Astronomia Básica e avançada para os que têm essa vocação será determinante para a evolução de nosso povo. Talvez na Bandeira do Brasil esteja impresso o código que nos fará entrar em uma nova era, porque se dar conta disso significará que nosso povo está crescendo em percepção da realidade, e em seus valores como brasileiros. Conhecer, dedicar-se, estudar também são formas de amar.

[photopress:Mistica_1_2_3_4_5.jpg,full,centered]
Vamos nos reportar ao momento do nascimento de nosso símbolo maior, nos fixando à significação dos símbolos escolhidos apenas. Deixemos a polêmica de lado, sobre as facções e rixas, tão comuns entre partidos opositores.
Perceba como nasceu nossa bandeira, que é uma das mais belas e sugestivas do mundo, e também a única a representar uma esfera celeste ou armilar, o globo imaginário que envolve a Terra com o firmamento.

[photopress:Bandeira_1_2.jpg,full,centered]

O círculo interno, em azul, corresponde a uma imagem dessa esfera, inclinada segundo a latitude da cidade do Rio de Janeiro às 08h e 37min – ou 12 horas siderais – do dia 15 de novembro de 1889 (data e local da Proclamação da República). O céu foi desenhado aproximadamente à hora da Proclamação da República, com destaque para o Cruzeiro do Sul, “para fixar-se perenemente o instante do nascimento da república”. E também por causa do nome original “Terra de Santa Cruz”, e Ilha de Vera Cruz.
Como é dia, óbvio que não são vistas, já que o brilho do Sol as encobre.

Abro um Parênteses, para melhor compreensão do ângulo de visão:
Esses são os fatos que marcaram a escolha dos símbolos de nossas bandeiras. Na visão simbólica, que interpreta as imagens e os desenhos de um outro ângulo, falam mais alto as imagens impressas no inconsciente coletivo.
Exemplo: o amarelo da bandeira. Os estudiosos de História, interpretam que foi por causa disso ou daquilo. Para nós, associamos com o que universalmente lembra o amarelo.
Assim, para o leigo em História, a cor amarela ele irá associar com a cor que representa o Sol e o ouro, entre outras. Ora, Sol e ouro estão relacionadas com a preciosidade da Vida e, por analogia, com a Sabedoria, a maior riqueza da vida humana.

Continuando nosso pensamento, a Constelação do Cruzeiro do Sul estava com o eixo maior na vertical, tendo como referência a latitude da cidade do Rio de Janeiro, capital da república que nascia. O projeto, de autoria de Raimundo Teixeira Mendes e com a colaboração de Miguel Lemos, teve inclusive um astrônomo nessa elaboração, e a visão científica esteve presente através desse astrônomo: o professor Manuel Pereira Reis, catedrático em Astronomia da Escola Politécnica, que tratou da posição das estrelas. Quem desenhou foi Décio Vilares.
Benjamim Constant sugeriu que se desse destaque ao Cruzeiro do Sul, tudo indica que a razão de seu pedido foi sua importância como indicador celeste do Pólo Sul, o que foi feito.
[photopress:crux2_1_2_3.gif,full,centered]

[photopress:200px_OrderOfCristCross_svg_1.png,full,alignleft] É interessante lembrar a presença da Cruz na primeira bandeira a chegar em território brasileiro: a Bandeira da Ordem Militar de Cristo, símbolo da ordem militar e religiosa restrita a nobres, que financiou várias expedições marítimas portuguesas. Tal ordem possuía uma cruz vermelha e branca num fundo branco e estava nas velas das 12 embarcações que chegaram em terras brasileiras no dia 22 de abril de 1500. Tremularam por duzentos anos em nossas terras.

– Vemos assim que a Constelação do Cruzeiro do Sul é tão importante para nós, que antes de Brasil, nosso nome foi Terra de Santa Cruz e Ilha de Vera Cruz, em alusão ao Cruzeiro do Sul, já citado anteriormente. Vera significa verdadeira. Por esse fato, dá para imaginar o assombro desses portugueses ao verem a Cruz formada por Estrelas no Céu, o Cruzeiro do Sul, trazendo eles em seus mastros a Bandeira da Ordem de Cristo, com a enorme Cruz hasteada. Não nos esqueçamos que a maior fonte de orientação para os navegantes era a posição das estrelas no céu.

Extraído do livro No Céu do Hemisfério Sul – Brasil, um Novo Começo de Stela Vecchi

[photopress:capa_livro_ceuhemisferiosul_200x274_1_.jpg,full,pp_image]

Leia o livro na íntegra:

Download Grátis – A Bandeira Brasileira e a Educação no Brasil – Livro NO CÉU DO HEMISFÉRIO SUL, de Stela Vecchi

Leia mais sobre esse tema:
http://blog.fengshuilogico.com/2008/10/10/o-porque-da-posicao-invertida-da-quinta-estrela-no-cruzeiro-do-sul/#more-95

Stela Vecchi é escritora e consultora de Feng Shui.
Autora do livro Feng Shui Lógico (Ícone Editora, SP, 2004), ministra cursos de Feng Shui Lógico, técnica que favorece a felicidade porque deixa sua casa harmoniosa e plena de energia benéfica.
Autora do livro No Céu do Hemisfério Sul – Brasil, um Novo Começo, onde analisa a bandeira brasileira de um ponto de vista inédito.
Seu último livro, O Caminho da Sabedoria, é sobre o amor e sobre o verdadeiro significado dos relacionamentos amorosos em nossa vida.

Visite também o site: www.fengshuilogico.com

One Comment

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *