Mãe, sem deixar de ser mulher

A personalidade feminina tem muitas facetas, mas a que mais se aproxima do divino é a capacidade de nutrir, alimentar outros humanos. Começa no útero, quando, junto com o masculino, gera e então abriga em seu seio uma nova vida.

Ao longo dos anos acompanha fisicamente e emocionalmente essa vida, sendo crucial seu papel na formação da nova personalidade criada.
Muitos fatores determinam uma personalidade, e com certeza não é apenas a mãe a responsável por ela, porém há uma visão e atitude dela que pode fazer muita diferença, mesmo em personalidades que vêm com uma carga de aprendizado muito grande para essa vida.

Mas a mulher não gera em seu seio apenas a vida do filho: seu poder é tão grande que pode nutrir, através da relação sexual, seu parceiro de uma forma mágica, e receber dele a pura energia Yang daquele que se sente profundamente alimentado e, portanto, conectado à Vida.

Essa função exige a quebra do individualismo, a entrega sem reservas, e a percepção da vida divina que vive em cada um de nós.
E o parceiro tem que estar em um estágio em que reconhece o poder do feminino e sua capacidade de lhe dar sensações e sentimentos que não se pode comparar a nada no mundo físico.
E então, o poder de cura e de transformação que a mulher encerra em si conhece seu ponto máximo de expressão.

A Sabedoria é a personificação de uma mulher que edifica sua casa interior, distribui os frutos que produz e assim renova todas as coisas, continuamente.
Portanto, a mulher sempre será aquela que nutre, independente de ser mãe no plano físico ou não, quando consciente de sua função e capaz de doação de si. Recebe então, por nada esperar, porém sem esquecer de cuidar de si mesma, a grande recompensa de ser elevada ao patamar de colaboradora da Vida, a que auxilia a manter a vida em nosso mundo não apenas de forma física, mas em toda sua plenitude espiritual.

Essas mulheres estão forjando o novo mundo entre nós, um mundo de seres plenos, alimentados em suas necessidades mais íntimas, e elas, por doarem o que é próprio delas, e que receberam da Vida, são duplamente alimentadas: pela vida espiritual e pela vida física.

Stela Vecchi

Stela Vecchi é escritora e consultora de Feng Shui.
Autora do livro Feng Shui Lógico (Ícone Editora, SP, 2004), ministra cursos de Feng Shui Lógico, técnica que favorece a felicidade porque deixa sua casa harmoniosa e plena de energia benéfica.
Autora do livro No Céu do Hemisfério Sul – Brasil, um Novo Começo, onde analisa a bandeira brasileira de um ponto de vista inédito.
Seu último livro, O Caminho da Sabedoria, é sobre o amor e sobre o verdadeiro significado dos relacionamentos amorosos em nossa vida.

Visite também o site: www.fengshuilogico.com

2 Comentários

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *