A natureza do desejo

Nos relacionamentos que não satisfazem totalmente, ouvimos a pessoa dizer, após as queixas: o problema é que ele (a) diz que me ama e que não pode viver sem mim.

Muitas vezes confundimos desejo, ou carência afetiva, ou baixa auto-estima com necessidade do outro. E isso ainda não é amor.
O verdadeiro amor que cada um anela no fundo de seu coração é um sentimento que se desenvolve quando já sabemos nos amar, ou estamos caminhando para isso. Saber se amar, se respeitar, buscar relacionamentos que ajudam em nossa evolução é nossa grande lição. Só quem sabe se amar pode amar. Ninguém pode dar aquilo que não possui.

Então, a questão é perceber até onde o que a pessoa que diz que me ama, me ama de fato.
O desejo nasce do corpo, das sensações.
O amor nasce do espírito e se aninha no coração. O Amor pode incluir o desejo.
O desejo nem sempre inclui o amor. Como conhecer as diferenças? Pelos efeitos.
O desejo sem amor nos aprisiona em suas malhas, o Amor nos liberta.
Enquanto o desejo pode ser confundido com uma necessidade, até mesmo um vício, o desejo quando atrelado ao amor é uma paixão serena, que sempre e só nos faz bem. Quando estamos em um relacionamento assim, não temos dúvidas.
Então, desejo só é de fato bom para nós quando inserido em um sentimento mais amplo: o verdadeiro amor.
Muitas vezes só o tempo vai revelar se nosso relacionamento é baseado apenas no desejo ou se há amor também. Dependerá muito do grau de evolução espiritual de nossa parceria, porque amor puro vem do espírito. Depende da capacidade de amar de cada um de nós.
O fato é que quando percebemos que não há amor, mas apenas desejo, o amor por nós e por nossa evolução pode estar em jogo. Pode não ser fácil nos deslindarmos de um relacionamento que certamente ainda tem coisas agradáveis. Chegou a hora talvez de nos matricularmos em um curso de dança, aprender algo que queremos, fazer uma viagem. O importante é nos distrairmos do foco emocional em desequilíbrio e aos poucos, deixar a razão dentro de nós nos mostrar os caminhos para nossa felicidade maior. Como tudo é aprendizado, certamente ter vivido esse relacionamento pode aumentar nosso discernimento e nossa sabedoria amorosa.

O melhor é que o Universo está a favor daqueles que buscam com sinceridade e com dedicação trazer o verdadeiro amor para suas vidas. Esse é o sentido de nossa existência humana e talvez a maior questão de nossas vidas, depois de reconhecermos o Deus de nossos corações.

Stela Vecchi

Stela Vecchi é escritora e consultora de Feng Shui.
Autora do livro Feng Shui Lógico (Ícone Editora, SP, 2004), ministra cursos de Feng Shui Lógico, técnica que favorece a felicidade porque deixa sua casa harmoniosa e plena de energia benéfica.
Autora do livro No Céu do Hemisfério Sul – Brasil, um Novo Começo, onde analisa a bandeira brasileira de um ponto de vista inédito.
Seu último livro, O Caminho da Sabedoria, é sobre o amor e sobre o verdadeiro significado dos relacionamentos amorosos em nossa vida.

Visite também o site: www.fengshuilogico.com

Fazer um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *